POESIA É VIDA E RESPIRAÇÃO

O amor é infinito? Esta questão nunca foi respondida por ninguém.

Meu Diário
01/01/2014 16h39
A VITRINE DO AMOR

A vitrine do amor
exposta
me ensinou

Passarelas organizadas
para o desfile
do amor

As virtudes eram todas
proclamadas
uma a uma desfilavam

A humildade veio primeiro
atrás dela a sinseridade
Em seguida a dignidade

Ainda no palco
chamaram a paixão
que veio logo arrogante

Continuando o desfile
a paciência chegou
após ela a determinação

Um conjunto de virtudes agarradas
ao amor
Por último chegou o carinho

Que logo se apresentou
unida ao companheirismo
a tolerância  apareceu

Muito aplaudidas todas as virtudes
agradeceram, mas convidaram
a fidelidade para encerrar a apresentação.


Publicado por zemary em 01/01/2014 às 16h39
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
27/10/2013 08h24
rosas

As
Rosas
Cheirosas

São
Todas
Frondosas


Belas
Formosas


Publicado por zemary em 27/10/2013 às 08h24
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
29/09/2013 07h23
QUE SAUDADES DA CHUVA- DUO TRITOFES




JORNAL
PROCLAMOU

QUE
CHUVA
EXPIROU

SIM,
HOMEM
RECLAMOU
_________________________________
SIM
VENHA
CHUVINHA


MOLHAR
PLANTINHA

VOU
AMAR
GOTINHA






 


Publicado por zemary em 29/09/2013 às 07h23
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
28/09/2013 06h04
ALMA ESTRAGADA



Sufocada e sem instintos
Minh'alma chora de dor
São lágrimas sem cor
De grandes amores extintos

Sem sabor e incolor
A alma fica estragada
Com a veia mutilada
Que não mais passa calor

Extrago na alma existe
Parece história triste
De alguém que insite
Em viver ainda persiste

Com gritos quer reagir
Não sabe a quem dirigir
Só pensa no amor ingerir
E esta tortura digerir

Nesta última fase, o poeta chora
Com a alma estragada
Jura que vai embora
Mas não deixa a amada

 


Publicado por zemary em 28/09/2013 às 06h04
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
15/09/2013 06h26
alvorada



Os seres humanos não pensam
    Na beleza da natureza,
       pois, se pensassem não haveria guerras
          Se percebessem o sol quando nasce,
              Jamais pensariam em bombas
                 Nunca deixariam crianças morrerem
               O amnhecer é mágico e belo
             A luz tímida do sol chega mansinho
          A brisa nos acalenta com sua frescura
      Cada raio de sol oferece a esperança
 De um novo dia, um recomeçar...recomeçar.
    


 


Publicado por zemary em 15/09/2013 às 06h26
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 1 de 3 1 2 3 [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras